Redes Sociais

140

NOVOS MODELOS

Em tempos tão agitados, o Mundo dos Negócios fica de pernas para o ar, com tantas invencionices que vão surgindo. O mercado não assimila tanta mão-de-obra, os modelos de trabalho se reinventam e, se você estiver acima do cinquenta… meu bem… se prepare!

É aí que começam a surgir empresas amorfas, multifacetadas, das quais você mal entende o objetivo de existirem e não identifica claramente o Plano de Negócios.

Qual é o objetivo daquilo, como ela se sustenta, coisas que você nunca saberá.

Vemos muitas ONGs, STARTUPs ou coisas do gênero, onde tudo é gratuito, onde trabalham pessoas voluntárias (ou seja, sem remuneração). Estamos na era do COLABORATIVO. As relações estão se tornando quase um ‘escambo’.

A propaganda fala em vivermos com menos e te mostra uma praia linda, onde você precisa de pouco para ser feliz. Uau! ‘Chegar’ lá já me deixaria muito feliz…

Criam uma ideia de uma sociedade utópica, que vive com pouco (mas tudo do bom e do melhor), que exige de você o máximo de conhecimento e formação e em troca te oferece pouco, pois está na moda viver com pouco.

Você não precisa de roupa, de sapatos, de carro, nem de apartamento. Vai viajar pelo mundo com muito pouco, conhecendo tudo – com muito pouco – e ser feliz, com muito pouco. Não precisa comer ou beber, se o faz é bem pouco. Não precisa de Plano de Saúde pois isso é um luxo.

Não compra livros nem discos (baixa tudo de graça na internet). Só vai ao teatro ou a espetáculos se forem gratuitos.

O que houve com os velhos sonhos? Está certo que muitas vezes nos matávamos de trabalhar e o resultado de plena felicidade não era garantido. Mas hoje, querem que você ‘colabore’ com a natureza, com os artistas, com o bairro, com a família e com os amigos. Colabore até com a empresa na qual você trabalha dando muito e recebendo quase nada em troca. Participe da campanha para a produção de teatro, para a publicação de livros, para a festa de aniversário, para o bloco de carnaval. Tudo é pouco… quase nada.

Nossos sonhos ficaram mesquinhos e fora de moda. Ter uma casa, um carro, viajar para alguns lugares legais sem carregar uma mochila nas costas (aliás que a idade já não permite), tomar um bom vinho em casa com amigos… Tudo isso está ficando fora de moda. Porque trabalhar e ganhar dinheiro com seu trabalho não faz parte dos planos de ninguém. Está fora de moda.

Temos que adaptar nossos sonhos, simplificar nossos planos, para não ficarmos frustrados e desistirmos de tudo. Trocar o vinho pela cerveja, trocar a Europa pela cidade do interior mais próxima, trocar o cinema pela tv a cabo, trocar o livro pela resenha, trocar amigos por seguidores.

Na verdade, precisamos mesmo de muito pouco para sermos felizes. Precisamos de respeito e dignidade, e isso não sei onde encontro.

3 Comentário para : NOVOS MODELOS
    • Susanna Florissi
    • 31 de janeiro de 2017
    Responder

    Parabéns, Silvia!
    Texto muito bem escrito e com reflexões importantes nestes nossos dias de tantas mudanças tanto profissionais quanto pessoais. Talvez nem todos estejam acompanhando o turbilhão pelo qual a humanidade está passando, e é até por isso que textos como o seu trazem reflexões tão relevantes.
    Há momentos em que não sabemos para onde ir, mas a reinvenção trata justamente disso: um dia, pessoas preparadas, com bases sólidas e princípios imaculados, encontrarão grandes ideias que sempre possam trazer o respeito e a dignidade a todos nós, profissionais e humanos.

  1. Responder

    Adorei!

    • Fatima
    • 1 de fevereiro de 2017
    Responder

    Uma realidade nua e crua. Muitos procuram esta mesma dignidade e o respeito, por menor que seja.

Deixe um comentário




*